Skip to content
repertório dos paradigmas de som

ADSR - envelope dinâmico

ADSR (acrónimo de origem anglófona: attac, decay, sustain, release) designa o conjunto elementar das características dinâmicas mensuráveis de um som. A este conjunto de vectores também se chama contorno (embora a expressão mais usual seja envelope, por influência anglófona), em razão da sua representação gráfica.

ADSR - ataque, decaimento, sustentação, repouso - <a  data-cke-saved-href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/" href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/" title="Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0">CC BY-SA 3.0</a>, <a  data-cke-saved-href="https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=94534" href="https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=94534">Hiperligação</a>

ADSR - ataque, decaimento, sustentação, repouso - [in Wikipedia, CC BY-SA 3.0]

Note-se que o ADSR refere-se a sons simples (por exemplo, uma nota solta do piano), não sendo a abordagem mais adequada para tratar de sequências sonoras, que são o objecto principal deste estudo.

Representação gráfica das ondas de uma sequência sonora - <a  data-cke-saved-href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/" href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/" title="Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0">CC BY-SA 3.0</a>, <a  data-cke-saved-href="https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=94531" href="https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=94531">Hiperligação</a>

Formas de onda de uma sequência sonora [in Wikipedia, CC BY-SA 3.0]. O envelope dinâmico da sequência, salientado a traço vermelho, não faz parte da representação gráfica da onda.
Como se vê, são muitas as modalidades possíveis: o som pode ter ou não ter um tempo de ataque, pode não ter sustentação e decair imediatamente a seguir ao ataque, etc.

O envelope dinâmico é um paradigma fundamental na síntese sonora: quando criamos um novo som num sintetizador, além de termos de definir o seu tom (frequência fundamental) e o seu timbre (forma de onda e harmónicos que acompanham a frequência fundamental), é preciso definir o seu ADSR. Se isto não for feito, ao premirmos uma nota no teclado do sintetizador, será gerado um som estável, de intensidade constante, que se irá manter até ao infinito (isto é, até desligarmos o sintetizador da ficha eléctrica), porque não lhe foram fornecidos dados sobre quanto tempo deve durar, de que forma evolui depois de iniciado, etc.

Embora este paradigma constitua o ponto de partida na definição quantitativa de um som musical, vários outros vectores mensuráveis podem ser acrescentados ao envelope dinâmico – por exemplo, o trémulo.


Outros efeitos de tipo dinâmico:

 

Rui Viana Pereira, 2000 ► última revisão: 26-03-2023
visitas: 7

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website