Skip to content
repertório dos paradigmas de som

Atracção e repulsão

Efeito fonotrópico que, de forma incontrolada ou consciente, mobiliza a atenção.

categoria: psicomotora

Tanto a atracção como a repulsão têm não só um efeito mobilizador da atenção mas também, em certos casos, psicomotor. Ambos pressupõem uma variante da focagem, isto é, um direccionamento da atenção prolongada. O que distingue a atracção/repulsão da focagem é o facto de esta depender da vontade subjectiva, enquanto aquelas actuam independentemente da vontade do ouvinte.

Os efeitos psicomotores da atracção/repulsão podem ser ligeiros (simples focagem da atenção), medianos (virar a cabeça para ouvir melhor e observar a origem do som), ou extremos (atracção física ou, inversamente, fuga). Nalguns casos, devido a traumas anteriores, as reacções psicomotoras podem ser extremas e descontroladas, como sucede no caso de quem viveu cenários de guerra – basta um estouro modesto para atirar o ouvinte para debaixo duma mesa ou outro lugar de protecção. Augoyard coloca a questão nos seguintes termos:

«[…] A amplitude deste efeito pode variar desde a captação ligeira de interesse até à completa mobilização do comportamento. Nas ruas muito frequentadas, os cantores ou grupos musicais têm o objectivo de atrair a atenção de quem passa. Estas situações sonoras exercem-se em ruptura com o bruá circundante. Quando os campos acústicos de diferentes músicos se encavalitam, desaparece o desejado efeito de emergência. Uma sirene de alarme, que se destaca no contexto sonoro circundante e não pode ser vista, ilustra bem a dualidade atracção/repulsão que caracteriza a emergência de certos acontecimentos sonoros.»

— Jean-François Augoyard & Henry Torgue, Répertoire des Effets Sonores, 1995, p. 28

 

Rui Viana Pereira, 2021 ► última revisão: 29-03-2023
visitas: 2

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website